[GSK] Advento da Luz

por SS Gurusangat Kaur Khalsa

Advento significa chegada e não é incomum seu uso como fundação de algo. Estamos no tempo do Advento, que são justamente as quatro semanas que antecedem ao Natal. Este é um período que estabelece novas conexões para velhos significados. Neste período os católicos celebram tanto o nascimento de Jesus em Belém, quanto a sua partida no Dia do Juízo. Esta antiga tradição litúrgica oferece a chance de cada indivíduo se renovar na purificação como forma de preparo para receber aquele que está chegando – a consciência de Cristo.

É comum vermos uma coroa do advento. Ela é feita de ramos de abeto, com quatro velas que se ascendem uma após a outra nos quatro domingos do advento. A coroa é plena de simbolismo sagrado com grande aplicação à vida dos católicos: sua forma circular representa a eternidade, sua cor remete à esperança e vida. Quando aparece a fita vermelha nestas coroas, ela simboliza o amor de Deus pela humanidade e o amor daqueles que esperam pela vinda de Cristo.

Tendo sido Jesus judeu, e não havendo o Natal em sua Tradição, ele certamente comemorava o Hanukah. Este festival de luz dura de oito dias e começa na noite do 25º dia do mês Judeu de Kislev, que varia a cada ano, pois se relaciona com o calendário lunar. Nesta celebração judaica, comemora-se o triunfo da luz sobre a escuridão, da pureza sobre adulteração, e da espiritualidade sobre a materialidade. No coração desta celebração está o ascender das velas do Menorah (candelabro) no decorrer dos 8 dias.

Para os Hindus, o festival de luz se chama Divali e para os Sikhs, Bandi Chor Divas, ambos com significado semelhante. Sendo também de purificação, celebra-se a vitória da sabedoria sobre a ignorância, do bem contra mal e da esperança contra o desespero. Este festival acontece, como para os Judeus, segundo o calendário lunar, e geralmente incide entre os meses de outubro e novembro.

É inegável as emanações deste período do ano. É um tempo de alegria, porque algo promete se transformar, corrigir injustiças e restaurar a esperança. De toda esta ebulição de orações, e da dedicação sincera de muitos é que se torna importante sentarmos juntos e projetarmos uma forte oração, pois estamos todos sintonizados de alguma maneira na purificação e na luz.

Que sejamos capazes de restaurar a pureza dentro de nós e em nossa sociedade. Que estejamos decididos, com braços fortes e pernas que não hesitam, a proteger as plantas, as florestas e os animais, porque eles dependem de nossa compaixão. Que queiramos, acima de tudo, o bem a esta Terra e o bem a tudo e a todos e que nossa vida seja um exemplo deste sacro ofício.

Abençoada seja a Força que Cria, Deus em nossa forma de entender, que produz milagres em nossas vidas por meios que mal entendemos. Abençoados sejam estes milagres e seus dias e que eles possam tocar nossos antepassados e nosso futuro com a mesma intensidade em sua luz divina.

Que jamais esqueçamos de ti nos dias que inauguramos a partir deste momento.

 

Wahe Guru, Sat Nam.

Belo Horizonte, 18 de dezembro de 2014.

Kundalini Yoga no Supremo Tribunal Federal

por Abaky Brasília

f709e2b2153732d735bc88d116798e63 (1)

As professoras de Kundalini Yoga em Brasília

 

A noite de quarta-feira, 12 de novembro, marcou o fim de uma etapa revigorante para os 13 alunos que participaram da turma de Kundalini Yoga de 2014 no Supremo Tribunal Federal de Brasília.

“Eu achei muito bom”, diz Maria das Graças Pereira, servidora lotada na Presidência, que apostou na Kundalini Yoga como forma de aliviar o estresse do cotidiano no STF. “A nossa carga de trabalho é grande, absorvemos muitos problemas do jurisdicionado também. Então, é preciso ter alguma coisa para nos ajudar”, explica ela, que garante ter passado a dormir melhor este ano. Maria das Graças também ressalta o fato de que com a prática semanal passou a conhecer melhor colegas de outras áreas do Tribunal. E avisa: “Eu não quero parar, me fez muito bem.”

A turma de 2014 começou em 19 de fevereiro, com os alunos já inscritos na lista de espera de 2013. As aulas foram ministradas pelas professoras voluntárias Satyapal (Inez Guimarães Altafin Cavéchia) e Harsaroop (Marisa de Souza Alonso) e uma nova funcionária do Supremo já está se capacitando na Formação em Kundalini Yoga para aumentar a equipe do STF.

As aulas de Kundalini Yoga são uma ação do Programa de Qualidade de Vida no STF – Viva Bem e acontecem desde 2013. Este ano, a iniciativa ganhou destaque na imprensa, sendo citada na coluna Saber Viver, do Jornal Correio Braziliense, com o tema “Lazer Criativo”, como exemplo positivo de estímulo à qualidade de vida no trabalho.

Parabéns a vocês que compartilham estes Ensinamentos no STF.