Você em tudo

por SS Gurusangat Kaur Khalsa

(Fim da serie sobre Anand Sahib, o Shabd da Alma, dos arquivos do Sikhnet)

Você pode acompanhar nesta página o restante da tradução do Anand Sahib, e assim compreender mais profundamente este importante mapa da realidade humana. No total, este Shabd contém 40 pauris (passos), e Siri Singh Sahib Yogi Bhajan considerava os cinco primeiros a essência suprema de todo o poema. No primeiro pauri, o mapa norteia para o território da consciência, o professor. Encontrar o professor marca o fim de muita perambulação em vão. No segundo pauri, a mente inicia seu treinamento, aprendendo a se ver como parte de tudo. No terceiro, a abundância da Alma e o poder da força do espírito são descritos. Este território pertence a uma realidade além daquela do ego, e conduz para a profusa morada da alma, onde o som primal é tocado para segurança. No quarto pauri, uma realidade espetacular é descrita: a força do espírito não é privilégio de alguns. O Espírito é parte de tudo e vive em cada identidade. Neste pauri, somos conduzidos às terras onde intrigas mentais são dissolvidas liberando de nós grande tensão. Nós aprendemos a respeitar tudo com o auxílio do som que guia, o Shabd Guru. No quinto pauri, o segredo é revelado – o Som Sagrado, o Panch Shabd, Sa Ta Na Ma, ao ser entoado cria o ambiente divino e sagrado da alma em tudo, a inocência é novamente abraçada e a vida flui sem dor.

Mestre da Realidade Última, o que não viveria dentro de sua casa? Sua casa é completa. O que nos é dado é recebido. Permanecendo sempre num estado de admiração e apreciação por tudo que existe, seu Espírito se eleva dentro de nós e se torna nossa identidade viva. Quando seu Espírito em nós se torna nossa identidade ativa, então por onde andamos, em tudo que fazemos, ouvimos o Som que nos guia para casa. Mestre da Realidade Última, o que não existiria dentro de sua casa? (3)

Na dimensão da Realidade Última, seu Espírito vive em cada identidade. Esta verdade se tornou meu alimento. Na dimensão da Realidade Última, seu Espírito vive em cada identidade. Esta verdade me alimenta. Desta forma, toda fome e insatisfação desaparecem. Tranquilidade e paz passam a residir na minha própria mente. Todos meus desejos são satisfeitos pela presença desta Força. Que eu ofereça continuamente meu ser inteiro em serviço ao Professor que me leva da ignorância de minha mente para a luz da minha Divindade intrínseca. Através deste Professor todas as coisas importantes acontecem. Diz Nanak, escute vocês que vivem por sua pureza, disciplina e graça: guardem isso, amados – o Som Corrente corta as algemas do ego na mente. Na dimensão da Realidade Última, seu Espírito vive em cada identidade. Esta verdade tornou-se meu alimento. (4)

Onde os cinco Sons Sagrado do Panch Shabd tocam (sa-ta-na-ma), aquela casa torna-se auspiciosa. Qualquer casa que adote o Som Corrente, tocando-o artisticamente e com poder, tal casa torna-se uma casa auspiciosa. Através destes cinco Sons Sagrado, Você, Ó Divino Ser, nos auxilia no controle das cinco paixões e na superação da ilusão sedutora da morte. No começo dos tempos já havia sido decidido quando e como o Som Corrente, que corta o ego, deveria ser encontrado. E quando este momento chega, nós nos tornamos um contigo dentro de nós. Nanak diz, então, dentro de tais casas, uma profunda e relaxante calma irrompe. E você, Ó amor, toca o Som Silencioso, o som além de todos os sons, e causa e efeito cessam e a vida desdobra-se naturalmente sem uma única palavra. (5)

Wahe Guru.
Belo Horizonte, 10 de setembro de 2014.

Eu já esqueci das dores

por SS Gurusangat Kaur Khalsa

(serie sobre Anand Sahib, o Shabd da Alma, dos arquivos do Sikhnet)

Anand Sahib poderia ser visto como um tipo de mapa da realidade humana, muito específico e até mesmo, num certo sentido, técnico. Mas é preciso salientar que este mapa escrito em qualquer outra língua que não em Gurmukhi não parece o mesmo mapa. Quando se tem a palavra Har, que na maioria das traduções é rendida como “Deus”, ou mesmo a palavra Nam, traduzida como Nome, logo entendemos a questão. Har é uma das muitas realidades ativas da Inteligência Universal, justamente aquela que organiza, de forma original, os elementos da matéria para que a forma seja alcançada, e ainda, que ela seja capaz de reter intrinsicamente a vibração da causa primeira, o espírito.
Em Gurmukhi, Nam é uma forma de som, sútil e etéreo. Nam é a força primal que pulsa dentro de cada palavra, cada objeto e cada pensamento, e não necessariamente, a ação em si, o verbo.
No primeiro Pauri, o mapa reflete o território do encontro com a consciência, o professor, e isto inaugura uma marcha disciplinada em direção ao destino, deixando para trás as alamedas tortuosas e dolorosas da sina. Porque não queremos mais perder tempo, chamamos pela orientação e ela chega!
No segundo Pauri, a mente inicia então seu treinamento junto a este professor aprendendo a considerar tudo parte de si, e se ver em tudo. Aprende a reconhecer sua identidade como a mesma que criou a tudo, e desta maneira vence a escassez e a insegurança.

Anand Sahib – Guru Amar Das
Existe um estado de consciência, no qual cada ação reflete a realidade da alma. Oh! Mãe, esta consciência está em mim agora porque eu encontrei o Professor da Verdade que me despertou para minha própria realidade infinita. Eu encontrei o Professor da Verdade que me levou da escuridão de minha ignorância e ego para a luz do meu cerne divino. Com absoluta facilidade minha mente entregue flui na sintonia da frequência Divina. Esta experiência é tão incrível. As escalas da música divina do amor (que tesouro) e o espírito que as mantêm estão todos neste Shabd – O som sagrado através do qual as correntes do ego na mente são quebradas para que o Espirito Infinito se liberte para penetrar tudo e prevalecer como minha identidade viva. Cada um de vocês cantam o Som Sagrado do Shabd que penetrará sua identidade limitada e te trará para a experiência do Divino Imortal. Este Shabd te é oferecido como Hari – o poder do Criador para manifestar a forma. Através deste Shabd deste Shand, as ondas do pensamento na mente tornam-se sincronizadas com a vibração do Divino. Diz Nanak, existe um estado de consciência no qual cada ação reflete a realidade da alma. Esta consciência está comigo agora porque eu encontrei o Professor da Verdade que me despertou para minha própria Realidade Infinita. (1)

Você! Mente minha, esteja sempre com a Essência Divina dentro de seu próprio coração e dentro de tudo a sua volta. Esteja com a Essência Divina dentro de si e dentro de tudo, minha mente. Isto fará com que você se esqueça de todas as suas dores e sofrimentos. Sinta a Essência Divina presente em cada fibra de seu ser. Sinta a si próprio enquanto uma fibra no vasto tecido da vida. Misture-se e entregue sua identidade ao e no Divino. Assim, a Força que Cria fará todo o trabalho por você, e resolverá todas as suas questões. Aquele Mestre poderoso está no controle de tudo que te aborrece e preocupa. Sendo assim porque se esquecer desta Força Suprema? Diz Nanak, mente minha, sempre esteja com a Essência do Divino dentro de seu coração e dentro de tudo que te rodeia. (2)

Wahe Guru.

Belo Horizonte, 28 de Agosto de 2014.

Vendo você por dentro

(serie sobre Anand Sahib, o Shabd da Alma, dos arquivos do Sikhnet)

por SS Gurusangat Kaur Khalsa

Antes de olhar profundamente para as lições da alma relatadas no Anand Sahib, gostaria de definir Anand. Anand nos dicionários muitas vezes fica descrito como alegria, prazer e bem-aventurança. Mas alguém que usa drogas pode se sentir também “em êxtase.” Não faz muito sentido, então, entender Anand simplesmente como uma emoção. Anand indica um tipo muito particular de bem-aventurança.

Meu entendimento sobre o que significa “Anand” tem crescido ao longo do tempo. O Siri Singh Sahib Bhai Sahib Singh Khalsa Harbhajan Yogi ji, em uma palestra de janeiro de 1988, descreveu o estado e psicologia de Anand. Esta palestra influenciou profundamente o meu entendimento do Anand Sahib. Ele dizia que “Muita gente acha que se praticarmos boas ações estaremos em êxtase. Muitos dizem que se nós trabalhamos duro estaremos em êxtase. Mas fazer isso e aquilo nunca vai funcionar para alcançar o êxtase. Mas, sem desequilíbrio em sua vida, ou na vida de alguém, nunca haverá infelicidade. Porque sem equilíbrio não há harmonia e sem harmonia não há alegria. É uma lei simples.
Por que queremos o Guru? O Guru é uma sabedoria simples muito consolidada, que pode manter a nossa cabeça em equilíbrio. Por isso, quando chegamos ao Gurdwara, nos curvamos ao Guru. Nós colocamos nossa cabeça para baixo. Nós damos ao Guru uma oferenda. Este é um gesto nosso para que as coisas não subam em nossa cabeça de modo incorreto. Você não tem nenhum inimigo. Seu inimigo é a sua própria mente. Quando sua mente o controla, o chama e o leva ao seu modo, você estará a deriva. A mente precisa de meditação e a mente precisa de instruções e ela escuta a palavra do Guru. Nós fazemos as coisas para agradar aos outros. Virá o dia em que faremos as coisas que nos agradam? E quem é este eu? O auto-apaixonado ou o auto-compassivo? A pessoa tem que tomar medidas para ver a sua própria alma dentro de seu próprio ser. Esse é o propósito da vida. E isso é Anand. Nada vai funcionar, exceto o seu próprio trabalho. Trabalhar para ver sua própria alma. Estabelecer amizade com sua própria alma. Anand não está em ter muito dinheiro. Tampouco significa muito poder. Também não é muita beleza e nem muita destruição. Não haverá nenhuma alegria em nada, exceto em ver sua própria alma dentro de seu próprio ser, com seu olhar interior”.
Anand descreve a experiência que temos quando a relação entre a mente e a alma entram em equilíbrio através da palavra do Professor Divino, do Shabd, do Som Primal. O propósito da vida é ver o Divino. Mas o Divino em sua vasta totalidade é muito grande para que a mente possa alcançá-lo. O que a mente pode fazer é penetrar no interior e ver a sua própria alma. Reconhecer sua própria Luz Divina. Quando a mente está vendo seu verdadeiro eu e obedecendo à sua verdadeira natureza, encontramos a verdadeira bem-aventurança. Cada outra bem-aventurança – sexo, comida, drogas, álcool, realizações momentâneas – cria uma um estado de êxtase apenas temporário. A felicidade duradoura vem quando a mente é treinada para se relacionar com sua própria alma a cada dia, a cada passo do caminho. Então pouco importa se você é um mendigo ou um rei: A felicidade estará garantida.
Enquanto passamos por cada Pauree do Anand Sahib, veremos que Guru Amar Das fala à mente, ao corpo e aos sentidos de uma forma muito particular. À medida em que envelhecemos, novos problemas surgem. Novas preocupações desafiam a mente para puxá-lo para longe da sua luz própria. Por isso precisamos treinar continuamente nossas faculdades mentais para ficarmos ancorados na nossa própria Luz, para que cada ação nossa encarne a realidade de nossa alma. A melhor definição para “Anand Sahib” seria: “Um estado de consciência em que cada ação reflete a realidade da alma” ou “A consciência de viver cada respiração em sintonia com a realidade do Espírito.”

Na próxima semana falaremos do segundo Pauri do Anand Sahib. O Primeiro Pauri já foi publicado nesta coluna.

Wahe Guru.

Belo Horizonte, 28 de Agosto de 2014.

Anand Sahib – Canção do Êxtase

por SS Gurusangat Kaur Khalsa

Estamos comemorando o nascimento do Guru Amar Das nesta semana. Guru Amar Das, o terceiro na sucessão da Casa Real do Guru Nanak, era um reformador social, um educador e defensor do fim da discriminação sexual e de classe social.

Ele foi um grande líder espiritual. Numa manhã durante suas audiências para seus alunos, um yogi, descrevendo sua frustração com a própria vida e prática, lhe pergunta “Venerável Guru, você poderia me ensinar a viver a vida ?”

Guru Amar Das assentiu e lhe disse: “Deixe seu corpo e renasça em minha família. Quando puder venha à mim e eu te ensinarei como viver.”

O yogi se despediu e, em obediência ao comando do Guru, colocou-se em meditação e deixou seu corpo.  No seu devido tempo nasce o neto do Guru Amar Das, que,  ao saber do nascimento da criança, logo sabia que a alma daquele yogi tinha renascido. O Guru pediu ao seu filho que lhe trouxesse o neto e assim que o viu compôs um poema, o Anand Sahib, e cantou em voz alta. Batizando seu neto de Anand.

Por isso o Anand Sahib, constituído de 40 pauris, é considerado a resposta do Guru a todos que queiram aprender a viver suas vida. Cada pauri, ou verso, deste Shabd é uma lição essencial, passo a passo, para o aprendizado sobre como conduzir nossas vidas. Primeiro pauri contem as lições para o primeiro ano de vida, e assim sucessivamente até o quadragésimo ano.

Sendo as lições aprendidas, ano após ano, a pessoa pode desenvolver a sua personalidade de uma forma muito espiritual e consciente. A mente torna-se bem treinada para apoiar a realidade da alma em meio ao cotidiano. De modo semelhante, ler e entoar este Shabd nos faz mais aptos a conduzir nossas vidas em consciente e em paz.

 

Raag Raamkalee do Terceiro Canal de Luz, Anand ~ A Canção do Extase:

 

Uma única Força cria. Compreendida pela Graça do Verdadeiro Guru:

Estou em êxtase, Ó minha mãe, porque encontrei o Verdadeiro Guru.

Eu o encontrei e minha mente vibra com a canção de êxtase.

Uma melodia rica com suas harmonias celestiais recitam a Palavra do Shabd

Deus habita dentro das mentes daqueles que entoam o Shabd,

Diz Nanak, Eu estou em êxtase porque encontrei meu Verdadeiro Guru.

 

raamkalee mehlaa 3 anand

ik-oNkaar satgur parsaad.

anand bha-i-aa mayree maa-ay satguroo mai paa-i-aa.

satgur ta paa-i-aa sahj saytee man vajee-aa vaaDhaa-ee-aa.

raag ratan parvaar paree-aa sabad gaavan aa-ee-aa.

sabdo ta gaavhu haree kayraa man jinee vasaa-i-aa.

kahai naanak anand ho-aa satguroo mai paa-i-aa.

 

 

Wahe Guru, Sat Nam.

(adaptado do texto de Ek Ong Kaur, publicado no Sikhnet.com)

 

Belo Horizonte,  21 de Maio de  2014.